Posted 21 April 2014, 2 days ago | 12,627 notes | reblog this post
(originally emstonesdaily / via semi-idiota)
Posted 21 April 2014, 2 days ago | 4,455 notes | reblog this post
(originally sorriuosol / via antigoanjo)
Não importa o quanto algo nos machuca, às vezes se livrar dele dói ainda mais.
Grey’s Anatomy.    (via zumbipolar)
Posted 21 April 2014, 2 days ago | 2,024 notes | reblog this post
(originally alentador / via zumbipolar)
Posted 21 April 2014, 2 days ago | 82,180 notes | reblog this post
(originally wolverxne / via blackbrown-eyes)
Posted 8 April 2014, 2 weeks ago | 3,202 notes | reblog this post
(originally cabasounette / via ronandhermionesource)
Posted 8 April 2014, 2 weeks ago | 2,938 notes | reblog this post
(originally thelosts-ouls / via zuret-a)

Não foi a sua beleza. Não foram as suas brincadeiras e seu bom humor. Não foi o seu físico. Nem a sua inteligência… Foi o seu jeito de conversar comigo. O seu jeito de me olhar. A forma como você sorri. A forma que você me trata. A sua gentileza. Enfim, não foi o todo. Foram os seus detalhes.

- CYumi

Posted 6 April 2014, 2 weeks ago | reblog this post
Alguns livros são tão familiares que lê-los é como voltar para a casa. E nessas leituras, eu me vejo totalmente perdido em sentimentos paralelos que só algumas pessoas tem o dom de me provocar. E aí eu me sinto em casa, faço morada, peço pra ficar pra sempre. Mesmo sabendo que pra sempre ninguém fica. Mas nunca perco a esperança de que algum dia alguém realmente fique. Fique mesmo. Fique com vontade de ficar. Fique sem pensar em algum dia ir embora, e que principalmente fique por me amar. E então, enquanto esse dia não chega, eis o que eu aprendi: Não se deve construir casas em pessoas. Nunca. Ou pelo menos até alguém resolver ficar, ficar mesmo. Pois o livro sempre terminará igual, com alguém triste e cheio de saudades lembrando de braços que não alcançam mais o telhado para proteger da chuva, e com corações partidos que não vão conseguir se colar mais.
Ciceero M e Ananda N.   (via expurgar)
Posted 6 April 2014, 2 weeks ago | 414 notes | reblog this post
(originally reforcei / via promessas-passageiras)
Soltava sorrisos ao vento e ouvia: Uma hora eles voltam a você.
Caio Fernando Abreu. (via nobroke)
Posted 5 April 2014, 2 weeks ago | 15,544 notes | reblog this post
(originally teenager-i / via nobroke)
Porque amar é como atravessar a rua de olhos vendados.
Gabriel Sander.  (via felicidadeadois)
Posted 5 April 2014, 2 weeks ago | 29,865 notes | reblog this post
(originally repouse / via foreveer-and-always)